quinta-feira, 28 de janeiro de 2010


Manhã amarelazul.
Fechei o tempo debaixo do meu cobertor.
Limpei a casa para que a espiritualidade possa caminhar em paz.
Trabalhei a mente em prol da humanidade. Fiz preces por esse mundo maluco e desumano.
Dispensei os noticiários tristes. Esqueci a guerra interna do meu País. Preferi vê-lo apenas verde e amarelo.

Sonhos tão reveladores. Tão meus. Não os quero compartilhar, ainda!
Os pingos cessaram.

A vida de Mário de Andrade tem me feito contente.
É o meu mais novo companheiro da inquietação.
Um livro autobiográfico, rico em fotos, cores frias e palavras doces.

Sinto-me feliz em ser Poeta, ter meus dias colorido por palavras mágicas, que pulam que nem pipoca na panela.
Poesia tem cheiro, sabor e alma.
Poeta tem o universo no coração, por isso tenho absoluta certeza que sou uma extraterrestre.

:: Também quero viajar nesse balão ::

4 comentários:

Naty disse...

Ai ai ai... vc me faz viajar sem sair do lugar.
Flutuar sem tirar os pés do chão.
Que postagem foi essa, heim.
Amei demais.

Beijos

Be Lins disse...

O espaço das palavras , das poesias, é infinito e aberto para todos os viajantes que se dispõem.

Boa viagem, menina,
linda viagem!

*

Lucas disse...

Talvez a mente seja de extraterrestre... Mas você não é a única.

Gian Fabra disse...

de que planeta?

eu sou de Vênus. Passe lá quando quiser.
=)

beijo

Se eu tivesse mais alma pra dar, eu daria

Se eu tivesse mais alma pra dar, eu daria
Isso pra mim é viver!

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto
Vou usar uma frase do Ferreira Gullar, que me define: " A vida sopra dentro de mim pânica, como a chama de um maçarico, e pode subitamente cessar ".