quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

" Quem não sabe nada, se cale "


Em uma conversa durante a aula, no meu curso de Serviço Social:
Fulana diz:
- Eu assumo, não gosto de negro. Ui! (expressão de aversão)
Sicrana diz:
- Eu até gosto, mas não para namorar
Beltrana termina:
- Ah, isso é normal. Na sociedade existe muito preconceito, mulher.
Ai que raiva que me deu!
Questionei com a frase: O que é normal para vocês?
Claro que ninguém respondeu. Ficaram se entreolhando, rindo.
Como é normal não gostar de negros?

Quer dizer que agora o que um fala vale para todos?
Realmente, estamos caminhando para o fim dos tempos.
A humanidade está em constante decadência.

Viva a mistura de cores!

4 comentários:

Natalia Araújo disse...

Nooossa... me arrepiei lendo isso.
Que coisa mais ridícula!
O mundo está realmente perdido, concordo com vc.
E por concordar tanto... ontem postei um assunto bem polêmico em meu blog e ainda disse que estamos no fim, mesmo.
Não dá pra entender esse tipo de ser humano.
Você namora a pessoa ou a pele?
Fala olhando nos olhos ou na cor deles?

Acho um absurdo o racismo, preconceito, violência.. Aff.. é tanta podridão que dá até desgosto, concorda?

Beijão... ótimo dia pra vc.

Vernon Bitu disse...

"É mais fácil desintegrar um átomo que um preconceito" Einstein. Lamentável!!!

Lucas Tiago disse...

Arco-íris...

Petty Candy disse...

Não a humanidade está em constante decadência, mas certas sociedades que se apresentam tão bizarras. Já me diziam meus mais velhos que se há de esperar de tudo de um ser humano, até situações como essa, impostas por uma educação de repetição, possivelmente cabeças de vento ou provavelmente, ocas.
Elas não sabem a delícia do calor que correm nas veias dessas peles mais escuras.
Uma pena.

Se eu tivesse mais alma pra dar, eu daria

Se eu tivesse mais alma pra dar, eu daria
Isso pra mim é viver!

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto
Vou usar uma frase do Ferreira Gullar, que me define: " A vida sopra dentro de mim pânica, como a chama de um maçarico, e pode subitamente cessar ".